Segurança para todos

Encontro Internacional SPT 2012: do sonho à realidade



Alunos da EB1 de Cavez foram os representantes nacionais nesta iniciativa
 
Entre 8 a 10 de junho de 2012, Paris voltou a ser o palco do Encontro Internacional Segurança para todos, evento que reuniu os vencedores nacionais dos 12 países que participaram em mais uma edição do concurso promovido pelo programa internacional de educação rodoviária da Renault. Ao todo, cerca de 150 crianças e jovens provenientes de três continentes diferentes puderam disfrutar de três dias inesquecíveis na Eurodisney.
 
«Eeehhh» foi o grito uníssono e bem sonoro, audível pelo telefone, quando a professora comunicou aos seus alunos dos 2.º e 4.º anos da Escola Básica de Cavez que tinham sido os vencedores nacionais do Concurso Segurança para Todos, não sem antes, claro, a própria professora perguntar-nos «É mesmo verdade?».
 
Depois de participar desde a primeira edição com as respetivas turmas neste desafio, que já leva 12 edições, Glória de Sousa, a professora responsável pela turma vencedora deste ano, conseguiu desta vez não só que os seus alunos trabalhassem e aprendessem as regras de segurança rodoviária, mas também que pudessem viajar até à Disneyland Paris, para participar no Encontro Internacional Segurança para todos.
 
Como na nossa terra temos tidos muitos jovens, familiares diretos das crianças, vítimas de acidentes rodoviários, a temática da Década proposta para este ano gerou muito interesse em termos de discussão e de encontrar uma solução para este problema”, esclarece a professora.
 
 
Mais segurança ano após ano
Até à conquista do primeiro lugar, os alunos da EB1 de Cavez, escola situada no concelho de Cabeceiras de Basto, percorreram um longo caminho, que começou no início do segundo período, em janeiro, e terminou em abril, com a conclusão e envio do cartaz.
 
Visto tratar-se de uma década “surgiu a ideia de elaborar como que uma agenda, em que cada ano tinha a sua regra de segurança e respectiva ilustração”, explica Glória de Sousa. “Cada grupo de duas ou três crianças trabalhou uma regra, ilustrou-a em várias situações e apresentou-a à turma. Por fim, foram selecionados e recortados os trabalhos mais significativos e distribuídos pelas várias cartolinas de cores, respeitantes a cada ano”, acrescenta.
 
Assim, “escolher as passadeiras como local obrigatório para atravessar a rua”, “usar sempre o cinto de segurança mesmo em trajectos curtos”, “só sair dos veículos quando estiverem parados e sair pelo lado do passeio” foram algumas das regras trabalhadas e ilustradas pelos alunos vencedores e que culminaram no slogan do cartaz “mais segurança ano após ano”.
 
 
 
Destino: Paris
E finalmente o grande dia chegou! Ansiosos desde que souberam que eram os vencedores, os alunos da EB1 de Cavez tiveram que aguardar algumas semaninhas para que o tão esperado dia 8 de Junho chegasse. Até lá, tiveram que estudar, trabalhar e até provas de aferição realizaram.
 
Desde o dia em que souberam que eram os vencedores, todas as conversas iam dar à Disney, tendo sido difícil a concentração para outras actividades”, declara a professora.
 
Às seis da manhã, apesar de muito cedo, os 17 alunos estavam pontualmente na escola para irem de autocarro até ao aeroporto Sá Carneiro. Para quase a totalidade das crianças, seria a primeira experiência de avião. “Fui no avião do Porto até Paris e gostei muito de andar de avião”, recorda o pequeno João Lopes, aluno do 2.º ano.
 
 
E finalmente: a Disneyland Paris!
Este ano, o Encontro Internacional Segurança para todos iniciou com a reunião das turmas vencedores de cada um dos países participantes (Áustria, Bulgária, Estónia, França, Suíça, Polónia, Portugal, Eslovénia, Turquia, Índia, Croácia e Marrocos) na Cidade das Ciências e da Indústria de La Villete, em Paris.

Mas este foi só o início, pois como habitual, desde que o Programa foi criado, a festa da segurança rodoviária continuou com muita diversão e animação na Disneyland Paris, sem dúvida, o ponto alto do evento para os mais novos.
 
De facto, que melhor maneira de comemorar a vitória no concurso do que com um de jantar na companhia do Mickey e da Minnie, andar de montanha russa, brincar com o Nemo, com o Peter Pan e com todas as personagens da Disney, que preenchem os sonhos e o imaginário das crianças? As exclamações de admiração dos mais novos e o sorriso de felicidade estampado nas suas caras dizem tudo. E quando lhes perguntamos se gostaram, em uníssono gritam: “Sim!”.
 
Eu senti-me feliz porque gostei muito de andar nos carrocéis, no combóio, no tapete voador, nos carros”, diz Olga Ferreira, aluno do 4.º ano. Por sua vez, Catarina Gonçalves, do 2.º ano, afirma que o que gostou “foi de andar na montanha russa, no Nemo, no tapete voador, no Castelo, nos carros, nas chávenas, no Pirata das Caraíbas, na Casa da Árvore e no Peter Pan”.
 
Em suma: gostam de tudo, é-lhes difícil eleger qual a diversão que mais gostaram e a palavra com que melhor expressam todas as aventuras e emoções vividas é: “Adorei!”.
 

 
O regresso a casa
Mas não é só o Parque Disneyland e as diversões que proporciona que ficam na retina dos alunos. Também a experiência de dormir e comer num hotel, a festa de convívio entre os participantes, que teve lugar no Sábado à noite, e, claro, a pequena passagem realizada pela linda cidade de Paris, nomeadamente pela Torre Eiffel. “Eu adorei o hotel. No dia do baile, todos dançámos muito”, recorda Paula Carvalho, aluna do 4.º ano. “Eu, a Olga e a Sónia conhecemos a Patrícia, o Alex e o Máximo que dançaram connosco. No fim do jantar, os países fizeram a troca de prendas”, relembra, ainda, Ana Bastos, também aluna do 4.º ano.
 
Na bagagem de regresso já não trazem apenas as ilusões que levaram, mas o intercâmbio vivido com as outras turmas, muita diversão, novas experiências, novos conhecimentos e a grande vontade de um dia poder voltar. “Foi uma viagem inesquecível; gostava de a repetir”, “Foi espectacular este passeio; gostava de lá voltar” são alguns dos comentários dos alunos de Cavez aquando do reencontro com os pais.
 
De uma coisa a professora Glória não tem dúvida: a realização deste trabalho e as experiências vividas no Encontro Internacional contribuíram e contribuirão para que estas crianças tenham efectivamente comportamentos mais responsáveis. Além disso, “os alunos estão também sensibilizados para alertar as famílias e os amigos para as atitudes corretas”, acrescenta. Agora, para concluir o trabalho desenvolvido, apenas falta realizar a última etapa que idealizaram: transformar o cartaz numa agenda de sensibilização para distribuição às pessoas conhecidas, nomeadamente pais e amigos.
 
Leia aqui a viagem da turma de Cavez a Paris pelas palavras dos alunos
 

 
 
 


«« voltar


BTW
seara.com